quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Algures no mundo...

...neste preciso momento, alguém respira ao mesmo tempo que eu. Inspira e expira exactamente ao mesmo tempo que eu. Com uma tensão arterial e uma frequência cardíaca igual à minha, esse alguém escreve algures a sua alma. Aí acabam as parecenças. Nos milhões, biliões ou triliões de pessoas no mundo, muita gente pode ser igual a mim em muitos pontos, acredito que sim... Nem chego a ser um desses crentes na genética segundo os quais não há dois códigos iguais, gémeos fora... Não acredito nas probabilidades a esse nível. Acredito que haja pessoas iguais, que sintam o mesmo. Somente não acredito que haja almas parecidas ou sentimentos que sejam os mesmos... Essas coisas são sagradas

1 comentário:

Alexandre da Fonseca disse...

BOM DIA! parabéns pelo blog, sucesso e muita paz...abraços