sábado, 29 de janeiro de 2011

Woody Allen| longe de todos



paranóico, com personalidade única, vai-se afastando do mundo. é assim Alvie Singer, o protagonista de Annie Hall representado pelo próprio Woody Allen, que aparte toda esta animosidade para com o mundo e a incapacidade de se relacionar profundamente com mulheres está profundamente apaixonado por Annie Hall.

Annie Hall é um interessante exercício de abstracção da realidade em que, tal como noutros filmes de Allen, a câmara não tem medo de se fazer notar, servindo de registo da mente de Alvie e, consequentemente, de Woody Allen.

este filme de 1977 é também um ensaio sobre a inevitabilidade da morte que aprofundou já em 2009 com Whatever Works (no fundo Boris, tal como Alvie, é um pseudónimo de Woody Allen, abordando por isso temas muito semelhantes).

"´There's an old joke - um... two elderly women are at a Catskill mountain resort, and one of 'em says, "Boy, the food at this place is really terrible." The other one says, "Yeah, I know; and such small portions." Well, that's essentially how I feel about life - full of loneliness, and misery, and suffering, and unhappiness, and it's all over much too quickly. The... the other important joke, for me, is one that's usually attributed to Groucho Marx; but, I think it appears originally in Freud's "Wit and Its Relation to the Unconscious," and it goes like this - I'm paraphrasing - um, "I would never want to belong to any club that would have someone like me for a member." That's the key joke of my adult life, in terms of my relationships with women."

Sem comentários: