segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

2010 em álbuns - 7. Joanna Newsom - Have one on me



esta não é a mesma Joanna Newsom que em 2004 nos apresentou o aparentemente ingénuo e atrevido Milk-Eyed Mender, provida com pouco mais que uma arpa e uma voz deliciosa. se por um lado perdeu graça, por outro ganhou poder através de orquestrações mais complexas, epopeias de 11 minutos e uma gama de registos vocais mais ampla. mais madura, apresenta uma voz lírica notável, muito diferente da que marcou o primeiro registo, essa voz que tanto criava amor como ódios. não está pior, mas também não está melhor, está apenas diferente. eu até preferia aquela voz irreverente que, por vezes, ainda se deixa ouvir neste lindíssimo álbum.

não se pense contudo que é fácil ouvir este álbum de uma ponta a outra. aliás, quase nenhum dos álbuns que aqui adicionei e ainda vou adicionar revelam o seu valor numa só audição, são sobretudo álbuns que crescem com cada audição. o caso deste é outro: constituído por 3 CD's, o álbum tem um total de aproximadamente 120 minutos. apesar disso, e apesar de conhecer pouco o 3º CD posso garantir que a qualidade ao longo de todo o álbum se mantém, havendo naturalmente pontos mais altos que outros.



a faixa-título é aquela que melhor apresenta a dinâmica do álbum, com ritmos, intensidades e orquestrações variadas ao longo dos seus 11 minutos, sempre marcados pela harpa e pela voz de Joanna Newsom.

de referir que ela dará a partir do dia 24 de Janeiro uma série de 3 concertos (Porto, Aveiro, Lisboa) que estarão certamente entre os melhores deste arranque de 2011

e para mostrar a minha face preferida daquela que é, provavelmente, a minha voz feminina preferida (está seguramente entre as minhas preferidas) deixo aqui um vídeo e um link para um post que aqui publiquei, ambos com músicas do Milk-Eyed Mender.


Sem comentários: