domingo, 1 de agosto de 2010

Não dei conta de que podia acabar... Sabia que o tempo passava, e que cada vez menos havia, mas ingénuo, ignorava que a eternidade não existiria para sempre... Continuo sem ter consciência do fim, mas o derradeiro, é belo e sem dor. Os vários fins que se espalham pelos espaços da vida é que a deprimem.

Sem comentários: