sábado, 5 de dezembro de 2009

mentira


Agora que cantei meio mundo
Não tenho voz para ouvir.
Sem alma, sem mente
Vazio de ser, finjo mentir.

Ser que acorda sem ver,
Que dorme sem perceber
Que aí vem, o que se não quer,
Enquanto não puder.

Por mais que seja
Não me canso de ver,
De sentir sem ser.

Mentira a minha
Que surge
Quando parece que
A dor urge.

Sou um mentiroso:
minto que espero por ti
que espero por respirar
que sinto o que digo
que a vida é bela:

minto que sou

in caderno verde
um dos melhores que escrevi talvez.
finjo mesmo ser.
mais aqui ou aqui.

Sem comentários: