quinta-feira, 3 de março de 2011

cortes e energia

parece que agora a educação, tal como a cultura sempre tem servido, serve para equilibrar as contas da nação. enquanto isso a edp faz mil milhões de lucros que irá distribuir pelos accionistas. já nem falo do escandaloso monopólio e controlo do mercado por parte da edp, mas pelo menos podiam começar a pagar os dezasseis mil milhões que devem ao estrangeiro.

política para iniciantes: o que interessa são cortes. não interessa onde. aliás, quanto mais importante for o sector melhor. e depois ainda despachamos a culpa para quem no-los pediu.

2 comentários:

kiko disse...

Tenho uma cadeira de gestão este semestre e a primeira aula prática foi jogar um jogo chamado stratagem em que 5 jogadores faziam parte de um governo, cada um ministro de um sector diferente e começávamos numa situação de crise e o objectivo era melhorar as condições económicas do país, tínhamos uma dívida grande e também tínhamos de jogar com o ambiente, com a energia bens e serviços. Foi engraçado porque eram 4 países e o do meu grupo foi o que acabou em melhores condições com um pib enorme e sem dívidas. O problema foi que para crescermos economicamente não melhoramos nem aumentamos a "comida" da população, mas a verdade é que também não a cortamos e conseguimos aumentar os serviços e os bens. Foi bastante interessante e aconselhava o mesmo aos senhores ministros deste país :p


Em relação à EDP, a culpa não é dela, é da permissão do governo, ela é apenas uma empresa que tem como objectivo aumentar o seu lucro...não querem saber s para isso têm de construir quinhentas barragens em zonas de uma biodiversidade enorme....O Sócrates é que tem orgulho nisso...


cumps

joao amorim disse...

pois... só que cá os cortes acontecem sempre nos mesmos sectores... e o governo, ou melhor, os governos enfim, valem/valeram o que valem/valeram. talvez os nossos governantes devessem ter jogado a esse jogo! :)

quanto à edp.. disseste tudo...

cumps