terça-feira, 8 de março de 2011

Alejandro González Iñárritu| Biutiful


cru.brutal. duro. perturbante. belíssimo. Biutiful é um filme lindíssimo na mais miserável dimensão da palavra, uma negríssima visão da vida e da morte. a performance de Javier Bardem é avassaladora, merecedora de um óscar. e depois, depois há as imagens e a música, e os ruídos e os diálogos, e as traças e o anel, e a sujidade e a podridão, brilhantemente coordenados por Iñarritu e direccionados para salas de cinema à antiga: só aí a experiência pode ser vivida ao máximo.

Biutiful é cinema, é um exercício dos sentidos. mais do que uma história transmite-nos sentimentos. olhando para os candidatos a óscar de melhor filme, não lhes fica nada atrás, aliás...

1 comentário:

Fábio Silva disse...

Plenamente de acordo ;)