domingo, 18 de abril de 2010

"Nada é permanente, excepto a mudança"


Cito acima Heráclito. Tudo vai mudando. Talvez por isso, a mesma coisa, em dois momentos diferentes, separados por um pequeno intervalo de tempo, pareça duas coisas completamente diferentes. Porque a mudança não é consciente do que faz (com certeza não o é, caso contrário, não seria, por vezes tão radical) ela é imprevisível. E por vezes quando olhamos para trás ficamos embasbacados, cegos de "wow" e curiosos: como é que as coisas vieram aqui parar? Provavelmente foi um segundo que olhamos para o lado, e não vimos a mudança a trabalhar.

Eu gosto de mudança. Tenho medo, mas gosto bastante dela. No entanto, quando conheço o fruto dessa mesma mudança reajo com precaução. Por exemplo quando me encontro com alguém que já não via há muito tempo não sei como reagir. Qual terá sido a intensidade dessa mudança? Provavelmente isto acontece a muita gente. Parece-me ser natural. Será que esse algo mudou na sua essência? Talvez sim, talvez não. A única coisa previsível em relação à mudança é a sua perdurabilidade.

2 comentários:

kiko disse...

Ainda no outro dia tive a ver posts antigos no meu blog que já não têm nada a ver comigo e que se fosse hoje não os fazia.
Também vejo isso quando estou com velhos amigos, especialmente os do secundário. Rumamos por caminhos diferentes, vivemos experiências diferentes e conhecemos pessoas diferentes e dantes éramos mais compatíveis do que agora. É triste, mas é a realidade, o que vale é que não é assim com todos. Mas a mudança é sempre boa, pelo menos gosto muito mais de mim assim, sei que mudei para melhor!

cumps

jp, le miserable disse...

é exactamente isso que por vezes me acontece...

cumps