sábado, 12 de junho de 2010

Ausente



Tenho estado ausente. Ausente de mim. É incrível como tudo fica incrivelmente bem feito quando estou ausente. As coisas correm bem, como se fugissem da realidade presa nos sentidos. Não, não faleço com a realidade, mas decerto fico preso em coisas que não pertencem, nem me deixam pertencer. Então, o que me custa, porque não fico um pouco mais tempo ausente?

Sem comentários: